Como Planejar o Financiamento do Primeiro Imóvel

O financiamento do primeiro imóvel está entre as ações mais planejadas da vida, pois é uma decisão que envolve dinheiro, juros, sonhos e muito mais. Por isso, quem começa a pensar em adquirir uma casa ou apartamento, sempre busca pela melhor maneira de se organizar e fazer um bom negócio.

Com o intuito de ajudar esses compradores, nós separamos algumas dicas essenciais para planejar a compra e conseguir um ótimo financiamento, levando em consideração a relação custo-benefício. Veja só!

Qual é o seu imóvel ideal?

Qual seria o imóvel ideal para você? Um grande para acomodar toda a família, filhos e animais de estimação? Um pequeno para começar a vida independente longe da casa dos pais? Saiba qual tipo de casa ou apartamento é mais adequado no seu caso.

Ter conhecimento dessa informação é extremamente importante para ter base para planejar o financiamento do primeiro imóvel.

Quanto será necessário para fazer o financiamento do primeiro imóvel?

Sabendo o estilo de imóvel que você precisa, já é possível pesquisar os preços e saber quanto, aproximadamente, será necessário para o financiamento. É importante entender que você precisa ter, ao menos, 20% do valor do empreendimento para dar de entrada.

Quanto é possível guardar por mês?

O próximo passo é comparar o valor do imóvel com sua renda, para saber quanto você pode guardar por mês, até chegar em um montante significativo para fazer um bom negócio. É importante determinar um valor fixo, que deve compor a sua poupança todos os meses. Depois do dinheiro guardado é essencial que você “o esqueça”, finja que ele não está lá. Assim, você evita ficar mexendo na sua poupança e no final não ter a entrada necessária para o imóvel.

Como se organizar?

Uma ótima forma para organizar seus gastos e despesas e ter total controle sobre elas é com o auxílio de uma planilha. Nela, você pode lançar o seu salário, quais são as contas fixas mensais, o valor que vai colocar na poupança e com o que o restante do dinheiro é gasto. Assim, você pode visualizar despesas desnecessárias e reconhecer possíveis chances de economia.

Siga esses passos e determine um prazo para alcançar o seu objetivo de fazer o financiamento do primeiro imóvel. Tenha foco durante o período e consciência de que no final valerá muito a pena.

Confira algumas opções de empreendimento da Caprem e veja qual tipo de imóvel é a sua cara e da sua família. Conte com a gente no que precisar!

3 Passos Para Comprar Imóvel com Tranquilidade

Quantos casos de pessoas que fecharam maus negócios na hora de adquirir imóveis você conhece? Por conta disso, é comum que haja certo receio por parte dos compradores e a busca pela tranquilidade ao comprar imóvel seja colocada em primeiro lugar.

Adquirir um empreendimento imobiliário significa dispor de um valor muito alto e, geralmente, se envolver em uma dívida de anos. Por isso, nós trouxemos os 3 passos que podem garantir uma compra mais sossegada. Confira!

1. Programe-se para ter 20% do valor do imóvel

Se você tem a intenção de comprar imóvel, o ideal é que se programe para ter, ao menos, 20% do valor do empreendimento para oferecer de entrada. Primeiro porque os bancos costumam liberar até 80% do valor do imóvel para financiamento e, também, porque quanto maior for a sua entrada, mais chances de crédito você tem.

Outro grande benefício de dispor de um valor relevante, é que a taxa de juros fica menor e, dependendo da entrada, você terá a chance de fazer um financiamento menor, com menos prestações.

2. Poupe um valor para a documentação

Um dos maiores medos ao comprar imóvel é ser surpreendido por valores que não foram acordados. Porém, na maioria das vezes, esses pagamentos são devidos, só não foram informados no momento de fechamento do contrato por isso é importante contar com uma construtora de confiança, falaremos disso a seguir.

Mas é importante que você saiba que o valor do imóvel não é o único gasto que terá. É essencial poupar, pois, depois de adquiri-lo, terá que pagar pela documentação do empreendimento, que inclui custos cartorários, escritura pública, taxa de emissão de contrato com o banco, ITBI (Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis), taxa de INCC (Índice Nacional de Custo da Construção), seguros, dentre outros.

Fique atento e procure se informar sobre todas as taxas e impostos. Elas podem variar entre imóveis na planta, novos e usados. Portanto, busque o máximo de informações que puder.

3. Escolha uma construtora/imobiliária de confiança para comprar imóvel

Comprar imóvel com uma construtora ou imobiliária de confiança é o principal ponto para ter tranquilidade na aquisição. Isso te livra de informações mal prestadas, atraso na obra, falta de suporte ou, até mesmo, golpes.

Por isso, é extremamente importante que você busque por empresas com bom histórico, que estejam no mercado há longo tempo, tenham múltiplos canais de comunicação e credibilidade.

Para saber de tudo isso, pesquise! Procure por depoimentos de clientes, visite outros empreendimentos daquela construtora, busque dados sobre o imóvel e junte todas essas informações antes de fechar o negócio.

Viu só? Esses passos são essenciais para que você consiga comprar imóvel com tranquilidade. Siga todos eles e jamais assine o contrato se estiver com dúvidas. Confira outras informações no blog da Caprem e faça um bom negócio!

Entenda Como Funciona o Minha Casa Minha Vida

Você provavelmente já ouviu falar sobre o programa do Governo Federal que auxilia compradores a realizarem o sonho da casa própria, não é? Mas, você sabe, realmente, como funciona o Minha Casa Minha Vida?

Basicamente, esse programa dá suporte para que compradores de diferentes classes econômicas possam comprar seus imóveis com mais facilidade de crédito, redução de taxas de juros, subsídios para auxiliar na entrada do apartamento ou casa, dentre outras coisas.

Como funciona o Minha Casa Minha Vida para as diferentes rendas familiares?

A forma de suporte do governo muda, basicamente, pela renda de cada família. Hoje em dia, uma família que tenha uma renda média mensal de até R$7000 consegue o apoio do programa para adquirir seu imóvel. Porém, quanto menor for a renda, mais vantagens o Minha Casa Minha Vida proporciona aos adquirentes.

Renda de até R$1.800

Para as famílias com renda média mensal de até R$1.800, o governo oferece a possibilidade de financiamento de até 120 meses (10 anos), com parcelas mínimas de acordo com a realidade de cada um e, também, do valor do imóvel. Essas prestações podem variar de R$80 a R$270 reais.

Renda de até R$2.600

Para quem tem uma renda de até R$2.600, a forma como funciona o Minha Casa Minha Vida na parte de financiamento muda um pouco. Essas pessoas têm acesso à uma taxa de juros reduzida, que gira em torno de 5% ao ano, e ainda têm a possibilidade de pagar as prestações por 360 meses (30 anos). O subsídio nessa categoria é de até R$47.500.

Renda de até R$4.000

No caso das famílias com renda bruta mensal de até R$4.000, as condições de financiamento permanecem parecidas com a anterior, podendo ter oscilações nos níveis de taxas de juros.  Além disso, o subsídio vai até R$29000.

Renda de até R$7000

Quando a renda média é de até R$7.000, o governo já não oferece mais tantas vantagens quanto para as famílias com rendas inferiores. Entretanto, para tornar o negócio atrativo, o programa Minha Casa Minha Vida oferece taxas de juros diferenciadas e descontos no seguro de financiamento.

Agora que você já entende melhor como funciona o Minha Casa Minha Vida, sabe em qual renda sua família se encaixa e quais benefícios pode colher do programa governamental. Continue acompanhando as dicas da Caprem para saber tudo sobre a compra do seu imóvel.

Por Onde Começar: Confira Dicas Para Comprar Primeiro Imóvel

O momento da compra do primeiro imóvel é um dos mais planejados e esperados. Seja para sair da casa dos pais, para se casar ou, simplesmente, seguir a vida por conta própria, essa etapa sempre vem acompanhada de descobertas e, por isso, é extremamente importante se programar.

Comprar uma casa ou apartamento requer muita atenção, afinal o investimento não é pequeno e isso causa certo receio nas pessoas. Sendo assim, para te ajudar a fazer um bom negócio, nós separamos as dicas de como começar!

Programe-se financeiramente

Uma das principais preocupações na hora de comprar o primeiro imóvel diz respeito à parte financeira. Principalmente porque grande parte dos acordos são feitos por meio do financiamento do imóvel. As instituições bancárias chegam a liberar, geralmente, o crédito de 80% do valor do imóvel. Sendo assim, você precisa se organizar para ter, ao menos, 20% do valor para dar de entrada no apartamento ou casa.

Para estar preparado para esse momento e poder dar de entrada o maior valor possível, o ideal é que você se programe, evitando gastos e guardando na poupança o máximo que puder. Afinal, quanto maior for a entrada, menor será o valor financiado, assim as taxas de juros também baixam e as suas chances de ter o crédito liberado pelo banco aumentam.

Calcule o valor das parcelas do primeiro imóvel

Outro ponto de atenção é em relação às parcelas do imóvel. Antes de fechar o negócio, é importante que você calcule qual o valor aproximado que vai gastar com as parcelas mensalmente, para que se programe e não corra o risco de não poder honrar com os pagamentos.

O ideal é que você não comprometa mais que 20% da sua renda líquida com as parcelas do financiamento, afinal terá outras contas da casa nova para pagar.

Use o seu FGTS no financiamento

Todo trabalhador registrado no regime CLT, tem direito ao FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). O empregador deposita 8% do salário bruto do funcionário nesta conta e esse valor pode ser usado na compra do primeiro imóvel.

O caso mais comum é usá-lo para complementar a entrada e diminuir o valor do financiamento, porém, também é possível usar o FGTS para amortizar o valor das prestações a cada dois anos durante o pagamento do imóvel.

Tire todas as suas dúvidas

Antes de fechar um negócio como esse, você precisa estar com todas as dúvidas sanadas. Não é possível assinar um contrato sem saber exatamente tudo sobre a compra do imóvel.

É importante saber comparar as opções de imóveis para escolher a que melhor atende suas necessidades.

Um imóvel na planta, mesmo que demore alguns anos para ficar pronto, geralmente, tem um valor mais acessível e você tem a possibilidade de parcelar a entrada até a entrega das chaves. No imóvel novo, mesmo que eles costumem ser mais caros, você terá um custo menor com condomínio e uma infraestrutura melhor para aproveitar. Em contrapartida, os imóveis usados precisam de mais atenção, pois podem esconder problemas com documentação e exigir reformas elétricas e hidráulicas.

Para evitar qualquer problema ou surpresa na compra do seu primeiro imóvel e para contar com o auxílio de pessoas que possam te instruir, busque sempre por uma imobiliária ou construtora de confiança.

Gostou das dicas? Continue acompanhando o blog da Caprem e conte com nosso apoio para a realização desse sonho!